Cálculo de Arqueação

A arqueação será feita com base nas fórmulas presentes no documento “International Convention on Tonnage Measurement of Ships” de 1969 [10]. Os cálculos foram feitos no HecSalv, e os resultados obtidos foram os seguintes:

Regulation 3: GT = 31352

Regulation 4: NT = 9406    

Para o calculo de Net Tonnage foi considerado a tripulação de 21 pessoas e os compartimentos de carga conforme a figura abaixo, obtida no HecSalv.

Determinação do Castelo de Proa

Para este cálculo vamos usar a regra ICLL-1966 [9], Regulation 39, que define a altura mínima da proa. Assim temos:

Hmin = distância da linha d’água na perpendicular de vante até o pontal

Hmin = 56L (1 – L/500) *(1,36/(CB+0,68))

Hmin = 6859,9 mm

Como a borda livre a vante é substancialmente maior que o valor obtido (aproximadamente 11,7 m) este projeto não terá castelo de proa, mas um tosamento até 0,15L a ré da perpendicular de vante = 30,3m. O desenho com a representação do tosamento pode ser visto abaixo:

Representação do Tosamento

Balsas Salva-Vidas

As balsas salva-vidas deverão ser utilizadas quando, devido às condições do navio não puder ser feito o lançamento da free fall. Deverá ainda acordar com as determinações impostas na:

 Regulation 39, SOLAS [12] 1997, Chapter III, Part C.

Bóias Salva-Vidas

Segundo a NORMAN [6], navios de carga com comprimento L >= 200 m, deverão conter no mínimo 14 bóias salva-vidas, concordando assim com a Regulation 27, Chapter III, Part B, SOLAS [12] - (1997); no entanto aconselhamos a adoção de um total de 40 bóias, no intuito de garantir bóias para a máxima tripulação possível (incluindo praticantes, práticos, etc). Elas deverão ser instaladas nos bordos de tal modo que uma pessoa não tenha que se deslocar mais de 12 metros para lançá-la ao mar.

Coletes Salva-Vidas

Também segundo a NORMAN [6] o navio deverá possuir coletes para no mínimo 100% do número máximo de pessoas a bordo. Aconselhamos a adoção de 40 coletes.

Equipamentos de Detecção, Proteção e Combate a Incêndio

Os equipamentos de proteção, detecção e combate a incêndio deverão estar em acordo com Chapter II- 2 - Part 1 – SOLAS [12] 1997.

Bombas de Incêndio

Esta embarcação deverá ter uma bomba de incêndio de acionamento não manual, baseada no sistema dilúvio. A vazão total dessa bomba de incêndio não deverá ser menor que 20m3/h.

 Luzes de Navegação

Segundo a NORMAN [6]: “Todas as embarcações deverão estar dotadas de luzes de navegação em conformidade com o Regulamento Internacional para Evitar Abalroamento no Mar - RIPEAM/72 e suas emendas." - Regra 20/21 - Parte C.

Luz de mastro: a luz de mastro de vante, deverá estar a uma altura acima do convés principal não inferior a 5 metros, posicionada na linha de centro.

Luz de alcançado

Luz de reboque

Luz circular

Luz intermitente

Luz de Fundeio

Dimensionamento da Âncora

O peso da Ancora e o comprimento da corrente, além do número de ancoras, foi obtido através da expressão de numeral de equipamento obtidos na regra da  A.B.S. [5]:

EN = D2/3+2.B.h+0.1A

Onde:

EN = Expressão Numeral

D é o deslocamento = 39505 t

B é a boca = 32,12 m

h é a soma dos pés-direitos dos conveses da superestrutura = 17,5 m

A é a área do perfil da embarcação acima da linha d’água = 2323,29m²

 EN = 2516.46

De acordo com a tabela fornecida pelo A.B.S. [5] temos (Table 3/22.1):

Número de ancoras: 3 (uma é opcional de reserva)

Massa por ancora: 7800 kg

Comprimento da amarra: 632,5 m

Diâmetro da amarra: 90 mm

Leme

Para fazer o dimensionamento do leme utilizamos uma planilha desenvolvida por Gerson Beraldo Matter, baseada no paper “A Pratical Approach to Rudder Design” [8]. Os valores obtidos para área lateral, corda, entre outros e para o perfil Naca 0018, podem ser vistos a seguir:

Área do Leme

% de L*T =

1,60

 %

Área =

29,10

 m2

R/L =

4,00

 

d =

35,00

 graus

a =

1,94

 

d =

7,51

 m

Cr =

3,87

 m

 

Perfil Naca 0018

 

 

 

 

 

 

Cl' =

0,04

Obtido

 

 

 

 

 

x / Cr (%)

y / Cr (%)

x (m)

y (m)

0,5

0

0,019

0

1,25

2,841

0,048

0,11

2,5

3,922

0,097

0,152

5

5,332

0,194

0,207

7,5

6,3

0,291

0,244

10

7,024

0,387

0,272

15

8,018

0,581

0,311

20

8,606

0,775

0,333

25

8,912

0,969

0,345

30

9,003

1,162

0,349

40

8,705

1,55

0,337

50

7,941

1,937

0,308

60

6,845

2,325

0,265

70

5,496

2,712

0,213

80

3,935

3,099

0,152

90

2,172

3,487

0,084

95

1,21

3,68

0,047

100

0,189

3,874

0,007

Com os dados acima desenvolvemos um leme possuindo uma estrutura conhecida como chifre. As áreas laterais e perfil foram mantido iguais apenas sendo modificadas as dimensões da corda e altura. O desenho do perfil do leme pode ser visto abaixo:

Perfil do Leme