Considerações no Projeto de uma Draga

O principal fator neste projeto é a determinação do sistema de dragagem (entende-se por sistema de dragagem bombas, motores, braços de dragagem, cisterna, sistema de descarga, equipamentos de movimentação, monitoração e automação). Este é o fator mais importante do projeto, pois é a partir da definição desse sistema que se torna possível a definição do arranjo geral e da forma (que no caso deste tipo de embarcação é bem simples) sendo que esses dois fatores terão uma forte relação de interatividade.

Dentro do arranjo geral estão os compromissos de estivagem do braço de dragagem no convés, acomodações da tripulação conforme a regulamentação vigente, cisterna, tanques de combustível e consumíveis, arranjo da praça de bombas e praça de máquinas, equipamentos de governo, movimentação de pesos a bordo e afins.

Uma vez definido o arranjo geral, ainda que de forma preliminar, é possível gerar a forma do navio e começar analises de estabilidade (será tratada adiante por ser um fator crítico), manobrabilidade e seakeeping. Nesta fase o processo interativo será de extrema importância para que seja obtido o melhor equilíbrio entre todos os fatores a fim de garantir o melhor desempenho possível. Ainda nesta fase é importante a definição da topologia estrutural para uma estimativa do peso leve e centro de gravidade para o estudo de estabilidade. Devem ser observados durante a definição da topologia estrutural os requisitos e exigências das regras internacionais em vigor.

A estabilidade neste tipo de navio é um fator extremamente crítico, uma vez que a carga que este navio carrega além de ser extremamente pesada (peso específico na ordem de 2 t/m³) possui um grave efeito de superfície livre que causa uma elevação do centro de gravidade do navio, tornando-o menos estável de uma forma geral quando carregado. Devido a gravidade deste problema é prevista em projeto a perda de carga da cisterna a partir de um certo ângulo de inclinação a preservação da embarcação em condições adversas. Esta característica acaba por gerar curvas de estabilidade bastante peculiares, onde a partir de certa inclinação, quando o navio começa a perder carga, a curva apresenta "saltos" em direção a melhora da estabilidade. Dentro do estudo de estabilidade devem ser levados em consideração os critérios estabelecidos pelas regras da sociedade classificadora responsável pela verificação do projeto.

Após ter sido acertada a forma do casco, é feita uma previsão da resistência ao avanço para a forma em questão e é iniciado o dimensionamento do sistema propulsivo levando-se em consideração todos os fatores anteriormente citados.

Esse dimensionamento deve levar em consideração a autonomia desejada para o navio em questão. Dependendo do volume dos tanques e dos motores selecionados, pode vir a ser necessário um ajuste no arranjo dos tanques para que estes comportem combustível suficiente para a autonomia desejada.

Uma vez definidos os fatores de projeto apresentados pode-se dar início ao trabalho de dimensionamento da estrutura. Neste fator serão considerados os esforços do carregamento, o estado de mar previsto e os critérios de dimensionamento dos elementos conforme as regras de classificação.

Este dimensionamento altera diretamente o peso leve, que agora pode ser definido com bastante precisão e consequentemente a estabilidade deve ser revista executando as alterações necessárias que podem vir a surgir com este novo estudo.